sexta-feira, 17 de agosto de 2012




                       Congregação Mariana das Trincheiras-por Paulo Toschi
  1. Caetano Toschi, meu pai, e Gil Machado, mais tarde Gil Machado, SJ, sacerdote jesuíta que acabou indo para o Rio de Janeiro, eram, à época da Revolução de 1932, congregados marianos da Congregação Mariana da Paróquia do Divino Espírito Santo da Bela Vista, localizada na Rua Frei Caneca, em São Paulo (SP). Também fazia parte da mesma congregação mariana o meu tio, Paulo Augusto da Costa Aguiar. Os três foram para a Revolução Constitucionalista, integrando a mesma Companhia. Ali tiveram a feliz idéia de fundar a Congregação Mariana das Trincheiras, oficialmente subordinada à Congregação Mariana da Paróquia de onde provinham. Desta passaram a integrar seus colegas combatentes. Um padre (frade) franciscano de Guaratinguetá passou a exercer o papel de Diretor Espiritual do sodalício mariano. Está comigo o capacete que meu pai usava. Nele, singelamente, tentou esculpir o distintivo mariano, hoje quase imperceptível, provavelmente desenhado com a ponta do sabre, que também está comigo. Parte do material foi cedida por mim ao Museu organizado pelo Sr. Ricardo Della Rosa. Mas, ainda tenho fotos e documentos desse evento, que preciso pesquisar. Tomei conhecimento da braçadeira que suponho tenha sido preservada. Não havia ouvido falar dela. Confesso que fico na dúvida se a Congregação Mariana das Trincheiras que meu pai co-fundou é a única, ou se outras também foram organizadas, eis que a devoção mariana era intensa, naquela época. Sei que meu pai oficializou a Congregação Mariana das Trincheiras de que falo, mediante registro no Livro de Atas da Congregação Mariana de Nossa Senhora do Bom Conselho e de São José, da Paróquia do Divino Espírito Santo da Bela Vista (Rua Frei Caneca).João Antonio Julião Neto, primo de Paulo Augusto da Costa Aguiar, também fazia parte da mesma Companhia e também era membro da Congregação da Bela Vista, tendo, portanto, também, participado da fundação da Congregação Mariana das Trincheiras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário